Capsulares #26

VOO UNITED 93 (UNITED 93/Paul Greengrass/2006): Exploração de mau gosto dos últimos suspiros das vítimas de um ataque terrorista sabotado ou extraordinária aula de como gerar tensão, valorizando o calvário sofrido pelos passageiros do avião que se sacrificaram ao evitar uma tragédia pior? Fico com a segunda opção: após absorver o nervosismo da experiência, o que fica é o respeito por aquele grupo de pessoas comuns que possibilitaram outras dezenas de almas continuarem a viver. [Info

~ por Gustavo H.R. em 10 de agosto de 2012.

5 Respostas to “Capsulares #26”

  1. Ei, Ei, como se tá, meu querido?
    É, infelizmente eu não assisti os dois primeiros, quanto ao filme do Greengrass não achei nada demais, também não achei aquela indicação a melhor direção muito boa não, viu! rs!

  2. Belo trio. Conheço a história de Os Duelistas graças a uma música do Iron Maiden, que antigamente era de longe minha banda preferida. http://www.youtube.com/watch?v=dGS0YOIK1B0

    Sobre Voo United 93… poucos filmes conseguiram me deixar tão tensos. Aquela sequencia final pra mim é um marco do cinema recente e a emoção fica ainda maior por se tratar de uma situação real. Quando assisti ao filme saí do cinema atordoado, pra dizer o mínimo!

  3. Eu também saí do cinema com tremeliques, rsrs

    Não conhecia essa referência da música! Sou muito leigo em relação a bandas.

  4. Nossa, eu acho Os Duelistas sensacional justamente na precisão dos cortes, na mise-en-scène centrada. Tudo está no seu lugar e existe tensão, conflito latente. O início da carreira do Scott é muito boa, depois ele foi se perdendo. Mesmo nos seus bons filmes atuais, ele não tem mais esse estilo preciso. Uma pena.

    Sobre Voo United 93 também fico com a segunda opção. É incrível como o filme evolui para uma situação sufocante, quase que insuportável. Mexe muito comigo esse filme.

Os comentários estão desativados.