Capsulares #13

Por Quem os Sinos Dobram (For Whom the Bells Toll/Sam Wood/1943): Não fosse pela qualidade lastimável do DVD (a imagem implora por uma restauração), os valores de produção saltariam à vista. À interação entre os personagens é dada prioridade, com destaque para a tensão entre o suspeito Akim Tamiroff e o resto do grupo de rebeldes republicanos, embora o clichê do “amor quase à primeira vista” não convença. Longo, razoavelmente interessante. Quem leu o tomo de John Steinbeck se importará mais. [Info]

Vidas Amargas (East of Eden/Elia Kazan/1956): O título faz jus ao âmago deste filme sobre uma família (bastante) problemática. Mais um drama forte e incisivo do mestre Kazan, informado pela lenda bíblica de Caim e Abel. [Info]

~ por Gustavo H.R. em 18 de janeiro de 2012.

4 Respostas to “Capsulares #13”

  1. “Por quem os Sinos Dobram” é apenas um bom filme, chama a atenção por causa do time de feras no elenco. Já “Vidas Amargas” é um melodrama fascinante, não? Nunca me esqueço daquela cena entre Dean e seu pai brigando na casa, aquilo é acachapante! Um dos meus preferidos de Kazan.

    abs!

  2. Eu acho “Vidas Amargas” um filmaço, um dos poucos que vi do Elia kazan!

  3. VIDAS AMARGAS eu devo ter há anos aqui em DVD, mas nunca vi. POR QUEM OS SINOS DOBRAM eu acho por demais longo, chato e desinteressante — vale pelos dois celebrados coadjuvantes “estrangeiros”, mas, uma pena, nunca pelos coadjuvantes de grande nome.

  4. Ainda não vi Sinos, mas Vidas amargas é realmente um filmaço, um dos melhores do Kazan (e isso diz muito).

Os comentários estão desativados.