4 Caça-Níqueis Sem Personalidade

Extravagâncias caras, turbinadas por uma overdose de computação gráfica e ação cacofônica, compõem a munição tida como certeira pelos estúdios, atraindo em peso jovens do sexo masculino. Há algo de errado nisso?

O cinema-espetáculo dedicado às massas já trouxe emoções memoráveis a milhões de pessoas, diversos filmes-evento ficaram gravados na cultura popular, outros trouxeram inovações técnicas valiosas e, arrisco supor, passaram a alicerçar a indústria há tempos. Vide precursores como Guerra nas Estrelas, Contatos Imediatos ou os contemporâneos Matrix, O Senhor dos Anéis, Batman – O Cavaleiro das Trevas, etc.

Ocorre que esses fenômenos de popularidade transcenderam a condição de ser um mísero “produto a mais”: a seu modo, cada um tinha um plus, um quê de ambição maior do que apenas abocanhar o primeiro lugar nas bilheterias do fim de semana de estreia. Visionarismo, histórias bem amarradas, personagens carismáticos, coisas surpreendentes, pegada emocional, até mitologias inéditas.

Parte significativa dessas fitas de hoje, derivadas de fórmulas de sucesso testadas e provadas à exaustão, pecam pela falta de identidade. Qualidade, no cérebro dos executivos que dão o sinal verde, é um detalhe secundário. Você assiste, se distrai enquanto o faz, e depois esquece. É o que basta? É razoável esperar só diversão descartável de Hollywood como se fosse a norma, ou algo natural? Não para mim.

  • 007 – Quantum of Solace (Quantum of Solace/Marc Forster/2008):
  • O Dia em que a Terra Parou (The Day the Earth Stood Still/Scott Derrickson/2008):
  • O Sequestro do Metrô (The Taking of Pelham 1 2 3/Tony Scott/2009):
  • X-Men Origens: Wolverine (X-Men Origins: Wolverine/Gavin Hood/2009):

~ por Gustavo H.R. em 6 de julho de 2011.

5 Respostas to “4 Caça-Níqueis Sem Personalidade”

  1. Nem para mim. E a situação se confirma cada vez mais. Recentemente PIRATAS 4 entrou no grupo do bilhão, e TRANSFORMERS 3 vem revertendo a situação não muito prospectiva do 3D nesse ano. Esses talvez nem se enquadrem tanto em filmes “sem personalidade”, mas só esses números que indiquem continuações já está cansando — e nesse ano será um recorde.

  2. Realmente, existe uma grande diferença entre esses filmes que você citou. Existe sim “cinema-espetáculo” com qualidade!

    Agora, filmes que distraem e são esquecidos logo quando os créditos sobem não acrescentam nada… Isso quando você consegue de fato se distrair.

    Infelizmente, o que vale na maioria das vezes é o lucro e não a qualidade.

  3. Alguns são muito bons, outros totalmente vazios…

    O Falcão Maltês

  4. Olha eu nem tenho visto as sequências por causa destes motivos que citou, dos filmes mais recentes que vi e que é continuação, me decepcionei bastante com Carros 2, feito apenas para vender bonecos… Uma das animações mais fracas que vi nos últimos anos.

    Abraços

Os comentários estão desativados.