Capsulares #1

 Kill Bill: Vol. 1/Quentin Tarantino/2003: exibição cartunesca das habilidades de Tarantino como showman de ação; vápido prelúdio da segunda parte mais aprofundada e ressonante. [Info]

 

 

 

 

Os 12 Macacos/Terry Gilliam/1995: as angulações oblíquas e os close-ups distorcidos contribuem para a estranheza visual, enquanto a trama atinge seu ápice no final, com paradoxos temporais interessantes. [Info]

 

 


Vitória Amarga/Edmund Goulding/1939: drama romântico nada memorável, mas que agrada por não ceder aos excessos incontrolados de melúria comuns em algumas fitas antigas. [Info]

 

 

~ por Gustavo H.R. em 30 de março de 2011.

4 Respostas to “Capsulares #1”

  1. 12 Macacos é espetacular! Aliás, falar da cinematografia do Terry Gilliam é chover no molhado. O cara é mestre, sempre. E o Kill Bill… Precisa comentar? É Tarantino, pô.

    Cultura na web:
    http://culturaexmachina.blogspot.com

    O que não coube no Jukebox (textos, poemas, pensamentos, matérias):
    http://baudenotas.blogspot.com

  2. O 12 Monkeys é um filme interessante, eu daria 4/5, mas o Brazil (1985) creio que é a grande obra dele, um dos filmes mais bizarros de sempre.

    Cumps

    • Tenho muita vontade de conferir “Brazil”. Só vi alguns minutos na TV, há vários anos. Como vão lançar em Blu-ray neste ano, será uma ótima oportunidade para fazê-lo.

Os comentários estão desativados.