The Criterion Collection: As Melhores Artes de Capa – Parte I

Tudo que o Céu Permite (Douglas Sirk/1955)

O Espírito da Colmeia (Victor Erice/1973)

O Desprezo (Jean-Luc Godard/1963)

Gritos e Sussurros (Ingmar Bergman/1972)

Dias de Paraíso (Terrence Malick/1978)

Diário de uma Camareira (Luis Buñuel/1964)

Dillinger Está Morto (Marco Ferreri/1968)

Ervas Flutuantes (Yazujiro Ozu/1959)

Fanny & Alexander (Ingmar Bergman/1982)

Almas em Fúria (Anthony Mann/1950)

The Criterion Collection – site oficial

~ por Gustavo H.R. em 30 de julho de 2010.

5 Respostas to “The Criterion Collection: As Melhores Artes de Capa – Parte I”

  1. Realmente belíssimas capas que não vemos tão comumente por aí.

  2. De encher os olhos.

  3. Dillinger Está Morto e Dias de Paraíso são meus favoritos.

  4. Cada cartaz lindo!
    É mesmo de encher os olhos. Impossível escolher os mais bonitos..

  5. As capas são muito boas mesmo.

Os comentários estão desativados.