QUE O CÉU A CONDENE (DECEPTION/Irving Rapper/1946)

Bette Davis e Claude Rains.

Poucos entam em contato com este título ‘menor’ na filmografia dos anos 40 de Bette Davis. Cabe indagar por quê – o filme apresenta tantas virtudes que chega a surpreender.

Davis interpreta uma pianista às voltas com seu verdadeiro amor, um violoncelista que acabou de chegar da Europa após a guerra (Paul Henreid) e seu mentor, um compositor e maestro possessivo (Rains, divertindo-se à beça), do qual ela foi amante enquanto o outro estava fora do país. Davis resolve se casar com Henreid, o que provoca a ira de Rains.

Irving Rapper enfatiza comportamentos ao condicionar sua câmera na captura da intensidade de olhares, da linguagem corporal, da motivação dissimulada sob determinadas falas – a fonte da tensão reside em desconfianças, em informações omitidas, mentiras e ameaças, mais do que as maquinações do enredo. É descritível como um noir matrimonial contextualizado no universo da música erudita. [Info

About these ads

~ por Gustavo H.R. em 20 de abril de 2012.

3 Respostas to “QUE O CÉU A CONDENE (DECEPTION/Irving Rapper/1946)”

  1. mais uma grande dica de clássicos!

  2. Não assisti mas mas pude deixar de comentar que o título original me fez lembrar de Inception haha

Os comentários estão desativados.

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 715 outros seguidores